Confrontos em Greve Geral!

José Sena Goulão , da agência Lusa, e Patrícia Melo Moreira, da France Press, foram os rostos mais visíveis dos confrontos entre a polícia e os manifestantes, esta quinta-feira, no Chiado. Esta tarde, os fotojornalistas descreveram os momentos que antecederam a carga policial e que deram origem às imagens que já correram mundo.

«Estava a subir a rua com a Patrícia, ficámos para trás a enviar algumas fotografias, apanhámos a manifestação já a chegar à zona da brasileira com as carrinhas de intervenção todas e começamos a correr», descreveu José Sena Goulão, fotografo da agência Lusa.

«Quando começamos a correr vejo um rapaz que está já com sangue e a atirar sangue para cima da polícia, tentei fotografar essa situação, quando isso acontece, eu vejo-me no meio do cordão policial e dos manifestantes e quando começo a vê-los a avançar, avanço na direção deles a dizer: sou jornalista e faço o sinal “deixem-me passar para o lado de lá” e nesse momento levei a bastonada, depois atiraram-me ao chão e eu a gritar repetidamente, entrei completamente em pânico, a gritar sou jornalista, sou jornalista e continuaram a bater-me no chão, na cabeça, nas pernas», descreveu. José Sena Goulão diz que da maneira como estava a gritar era «impossível não terem ouvido» que era jornalista. Goulão vai mais longe: «Pela cara do polícia ainda parecia que eu ao dizer que era jornalista ainda incentivava mais a bater», explicou dizendo que foram «agressões gratuitas» e que estava ali «há um minuto».

Patrícia Melo Moreira faz uma descrição idêntica dos factos. «Nós começamos a fotografar, os ânimos já estavam muito exaltados, já havia coisas pelo ar, dos polícias e dos manifestantes, e nisto os polícias irrompem pela esplanada e nós a fazer o nosso trabalho, a fotografar», começou por explicar.

«Como já assisti a imensas situações destas sei que devo ficar de lado, fiquei de lado, estava a fotografar quando um polícia vem direito a mim e me manda ao chão. Eu entretanto levanto-me, puxo do cartão de imprensa do bolso para lhe tentar mostrar, vou direito a ele para lhe tentar mostrar o cartão e ele empurra-me de novo e manda-me ao chão e foi aí que um manifestante me tenta levantar do chão», contou.

Os fotojornalistas descreveram as agressões esta tarde junto à Direção Nacional da PSP, numa acção de solidariedade com os jornalistas agredidos. Cerca de 80 profissionais, a maioria da Lusa, entregaram uma carta de protesto contra a atuação da polícia.

One thought on “Confrontos em Greve Geral!

  1. Muitos só tiveram o que merecem. Provocaram a polícia com gestos e palavras e sofreram as consequências. Parece-me que alguém tem interesse em fazer de Portugal a próxima Grécia. Deixem-se de greves e vão trabalhar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s