Morreu Miguel Portas

Morreu dia 24 de Abril, por volta das 18h, em Antuérpia, na Bélgica, o eurodeputado Miguel Portas. O fundador do Bloco de Esquerda não resistiu ao cancro. A sua vida dividiu-se entre o jornalismo e a poltica. Fazia 54  anos na próxima semana.

Nasceu a 1 de maio de 1958, filho da economista Helena Sacadura Cabral e do  arquiteto Nuno Portas. Irmão do ministro dos Negócios Estrangeiros e presidente do CDS/PP, Paulo Portas, Miguel Portas era eurodeputado pelo Bloco de Esquerda desde 2004.

A política foi uma constante na sua vida desde muito jovem.  Começou por integrar a União de Estudantes Comunistas, em 1973. “Sou de esquerda  porque a minha mãe me proibia de deixar comida no prato, porque tinha de dar aos  pobres a melhor prenda que recebia no Natal. Fui habituado à renúncia. E também  sou de esquerda porque fui sempre um filho difícil, habituado a dizer não. O meu  processo de afirmação foi contra”.

Católico praticante enquanto adolescente, explicava: “A convicção que tinha acabou por ser transportada para o comunismo. Porque o comunismo não é mais do que uma religião laica. Quando aderi ao PC transferi de  Deus para o homem a mesmíssima crença e a mesmíssima promessa”. Num balanço  tanto quanto possível frio desses 18 anos, dizia: “Fui um bom militante. E acho que fui quase tão complicado para o partido como fui para a minha mãe”.

Ativista até ao fim, um dos seus últimos posts no  Facebook, na quinta-feira 19, é sobre o cerco policial à antiga escola básica da  Pontinha, no Porto: “A Es.col.A da Fontinha, que tem um trabalho mais do que  meritório com a população do bairro, está a ser despejada à bruta por uma  cruzada de políticos idiotas. Que todas as boas vontades se juntem contra a  estupidez. Já”.

Desde o verão de 2010 que sabia ter um cancro no pulmão. O que, assegurava, não lhe trouxe grandes mudanças, apenas uma consciência mais aguda da “precaridade da vida”. O seu objetivo de vida, “modestíssimo”, continuava a  ser o mesmo de antes da doença: “Quero poder olhar para trás e dizer: terei feito algumas asneiras, mas no conjunto posso partir, lá para onde for, com tranquilidade”.

Miguel Portas morre assim no dia 24 de Abril de 2012, dia antecessor ao dia da liberdade, que tanto ele lutara por todos nós. Miguel Portas deixou dois filhos, Frederico e André.

 

One thought on “Morreu Miguel Portas

  1. Pingback: Cedo demais: Miguel Portas « maisk3D

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s